Pagando uma dívida com o Café 22!

Ao mestre com carinho!

Roney B, controlando os slides numa das apresentações no Café 22

Foto por @BrunoFontes – http://www.flickr.com/photos/brunofontes/4305448970/

Quando eu estava no então chamado “segundo-grau” na década de noventa, eu tinha muita dificuldade com a matéria de física. Me lembro que eu nunca sabia a diferença entre Watts e Volts ou até mesmo Joules!!! Na época, eu me enrolava muito com as fórmulas e invariavelmente ficava com nota abaixo da média. É justo nesse momento que entra em cena o meu professor Jorge Bronzo e enfim, minha visão sobre a matéria mudou radicalmente e eu fui aprovado aos 45º do segundo tempo!

Lembro perfeitamente que ele percebeu que eu fazia parte de dois grupos de amigos da minha sala. O primeiro, da galera “da cozinha”, que só queria saber de conversar e matar o tempo. E o segundo grupo era dos CDFs (sim, naquela época ninguém os chamavam de NERDs!!!) mas que eram bons de bola também! Então quando eu estava no início do segundo ano ele disparou: “camarada, ou você pula para o grupo dos caras que sabem tudo e corre atrás do conhecimento, ou então você vai repetir de ano e eu não vou te aliviar!

Mas o mestre Jorge não só me pressionou na parede como à partir daí me inseriu em tudo quanto foi atividade científica e cultural que rolava no colégio. Começou com a “Semana das Artes” (SEMART), onde rolou pintura, música e teatro e culminou na temida “Feira de Ciências” que estreava justamente naquele ano. Claro que eu não quis participar, mas ele mais uma vez me pressionou e eu fiz um trabalho sobre Meteorologia Aeronáutica e fiquei em 6º lugar geral no colégio entre 130 projetos.

No ano seguinte, peguei gosto pelas atividades e ele me colocou como braço direito na organização dos mesmos eventos e eu acho que nunca trabalhei e estudei tanto na minha vida como no meu último ano de estudante e tenho CERTEZA que parte da minha personalidade foi traçada no empenho desse mestre! Ainda voltei dois anos depois de formado ao colégio como membro da banca julgadora, mas aí eu casei e perdi o contato. Continue reading

VII Comunicação em Foco da UNIVERSO – Eu fui!

Foi com esse vídeo que os alunos do 3º período de publicidade e propaganda abriram o evento VII Comunicação em Foco da Faculdade Salgado Oliveira, a UNIVERSO, de Niterói-RJ. O auditório estava lotado de alunos do campus e de interessados da comunidade local, além de profissionais das mais diversas áreas. Orientado pela professora Francilene Matos, os alunos planejaram 100% do evento e mostraram um tremendo profissionalismo em matéria de organização!

Eu apresentando o tema "Redes Sociais é o futuro e dá dinheiro?"O evento teve como tema “As redes sociais no mercado da comunicação” e trouxe profissionais do mercado com objetivo de compartilharem as suas experiências vividas no cotidiano das agências e empresas. Foram 3 dias de evento e eu participei do 1º dia (24/05)  junto com o meu amigo José Telmo, professor de Marketing Digital do INFNET e do Eduardo Tironi, editor-executivo do Jornal Lance. Já no segundo dia (25/05) tivemos a presença da Carolina Siper e Yuri Bastos, planejamento da Agência Worm; Vitor Lima, Diretor de planejamento da Agência Clarté e Patrícia Moura, coordenadora de Mídias Sociais da Agência Binder. E por fim, no 3º dia (26/05) foi a vez do Antonio Latempa, jornalista e professor de Marketing do La Salle, Fábio Ramalho, Jornalista e âncora do “Hoje em Dia RJ” da Record, e Klaus Denecke, professor de comunicação digital da ESPM. Continue reading

Encontro de pessoas com interesse em Internet

#InNetEsse é o slogan do #InNet – evento idealizado pela Claudia Sardinha, consultora de tecnologia da informação e instrutora de informática e criadora do Tecnologia Outonal, um blog dedicado à inclusão digital na Terceira Idade.
O evento está na sua 3ª edição e vai rolar no dia 27 de novembro (sábado), no Instituto Infnet, das 10h às 17h. Os ingressos antecipados custam R$ 10,00 (até o dia 25/11) e R$ 15,00 no local no dia do evento.

Veja aqui o artigo e o cartaz oficial do #InNet.

Eu tentei ir das últimas duas vezes, mas não consegui por questões de agenda e dessa vez eu apelei para poder comparecer ao #InNet. Eu vou palestrar! 😉 Isso mesmo! Estarei lá contando a minha experiência na metodologia de produtividade com minha palestra entitulada: “Carpie Diem (como aplicar o GTD -Getting Things Done- em sua vida)“. Claro que teremos outros palestrantes bem legais, vejam quem vai estar presente (por ordem alfabética) no evento:

Continue reading

InterACT RJ 2010. Faltou um pouco mais de “interação”!

InterACT RJ 2010

Aconteceu no último sábado, 17 de julho a 1ª edição do InterACT no Rio de Janeiro. Foram 2 dias de mini-cursos no auditório a ESPM e 1 dia de congresso no Sofitel em Copacabana. Sendo que eu fui nesse último a convite de um dos palestrantes, o meu amigo e cliente Eduardo Starling do curso Onda Azul.

Sobre a proposta do evento

O InterACT é um evento derivado do InterCom, principal evento do portal Imasters que acontece desde 2003. A proposta do evento foi a criação de conferências sobre criatividade e planejamento digital focando sempre no academicismo, onde estudantes, recém-formados e profissionais possam perceber de forma mais didática o comportamento do mercado, atendendo uma lacuna existente de eventos desse porte no Rio de Janeiro e em outras cidades do Brasil.

Foram montados dois espaços, sendo que o primeiro era uma grande arena (Arena InterACT) onde o palestrante possuía plateia dos quatro lados do palco. Esse espaço era comandado pelo “animado” Ariel Alexandre (Videolog inc.) que foi um show à parte dando dinamismo às perguntas e interação com o público.
No segundo espaço (Espaço PanMedia LAB) era mais reservado e de público menor, privilegiando a informação e a proximidade com o público e foi comandado pelo Beto Largman (Feira Moderna) com perguntas instigantes e pertinentes. Continue reading

Tudo ao mesmo tempo agora no 15º #EdtedRJ

Arteccom, 6 anos de uma grande relação

Share photos on twitter with Twitpic

Ainda me lembro da primeira palestra que assisti na 9ª edição do evento que aconteceu no teatro da UERJ. Foi a minha “primeira vez” em eventos da Arteccom e assisti entusiasmado o Eco Moliterno falando sobre o design da hoje extinta, AOL. Foi um verdadeiro “tapa na cara” pra acordar! Na época eu fazia layouts baseados apenas no meu gosto pessoal e perceber que haviam várias ciências por trás da confecção dos sites fez com que eu revesse os meus conceitos na hora. Eco levou um Power Point recheado de screeshots e falava sobre a tomada de decisão visual para cada página. Fiquei perplexo! Outra palestra que me chamou atenção foi a do Sérgio Carvalho da Sirius Interativa que falava sobre “usabilidade”, até então uma palavra completamente desconhecida pra mim. E por fim, fui arrebatado com a performace do incrível Luli Radfahrer! Confesso que até hoje não vi ninguém falar tanta informação num curto espaço de tempo com tamanho carisma e capacidade. Saí do teatro em estado de transe e posso confessar que minha vida de webdesigner começou ali. Num evento da Arteccom. Por isso a minha identificação por tudo que fazem e desde então a minha forma de atuar mudou e hoje posso dizer que estou bem satisfeito com o rumo que a minha carreira tomou.

 

Hoje passados 6 anos não é que fui parar no palco do evento! Sim, à convite da Cristiane Dalmati e da Adriana Melo, fui selecionado para ser um “tuiteiro parceiro oficial do evento” junto com os meus outros amigos Cayo Medeiros e Anderson Nascimento. Nós ficamos incubidos de escolher quem estava fazendo uma boa cobertura do evento usando a hashtag oficial #edted. Os vencedores ganharam a famosa almofada do Twitter da loja geek Mercado Mambembe. Os vencedores foram Richard Barros, Mariana Reis e a Agência Crie Digital.

http://cristianoweb.net/swf/edted_15_fullbanner_468x60_15kb_12fps_v8_clickTAG.swf?wmode=transparent

Sobre o a 15ª edição

Eu não fui em todas as edições anteriores, mas posso garantir que muita coisa evoluiu e outras nem tanto. O que vou relatar agora é um compilado dos pontos positivos e negativos sobre a minha visão. Faço isso como crítica construtiva porque sei que a Adriana Melo conta com essa ajuda dos participantes para criar eventos cada vez melhores para todos nós. A empresa sempre se mostrou pronta para ouvir o público e eu me sinto na obrigação de colaborar. Então vamos lá:

Pontos positivos

  • Altas gambiarras no espaco design. Faltam tomadas no #edted on Twitpic

    O local – O Centro de Convenções SulAmérica é simplesmente excelente. A estrutura é grandiosa e de fácil acesso. É confortável, tem lugar bem amplo para estacionar, o ar-condicionado estava “tinindo” que nem percebemos que estávamos no Rio de Janeiro, e a Internet, a pesar de livre, me pareceu satisfatória para a maioria. Salvo alguns usuários mobile que tiveram dificuldade no acesso, mas que na sua grande maioria conseguiram se conectar. Esse ano foi feito um esquema, ainda não muito satisfatório, de tomadas disponíveis. Quem sentou nas laterais, na frente ou no fundão, não teve dificuldade de conseguir “carregar as suas baterias”, mas a galera do meio ficou “chupando dedo”. Para um evento que conta com a cobertura é preciso rever essa questão.

  • Pontualidade – O evento atrasou pouquíssimo, acredito que uns 10min no máximo, porém o restante das palestras que assisti (Espaço Design) não houve problema com atrasos. É fundamental que tudo esteja dentro horário pois há muitas pessoas migram de salas e é preciso sincronismo entre as mesmas. Mas eu não percebi ninguém reclamando disso no Twitter, portanto acho que foi tudo muito bem.
  • Parte técnica – Áudio e telão não comprometeram. Mesmo porque essa questão também depende do palestrante e ele nem sempre pode estar um dia antes para fazer os devidos testes se um vídeo de sua apresentação vai sair no telão direitinho, mas no geral acho que foi tudo bem.
  • Palestras – Como sempre o ponto alto da festa!!! Muita informação, cases, e carismas nas suas apresentações. Destaque, claro, para o Luli Radfahrer! Ele é o fenômeno em matéria de palestra. Hilário, técnico, e muito, muito, muito capacitado. Eu o assisti sentando ao lado do Horácio Soares (3º palestrante) que me confessou que o Luli ensaia arduamente e com muita antecedência as suas apresentações. “Ele improvisa é claro, mas ele é um profissional de comunicação” disse. Luli mesmo precisando se apresentar no palco “sem luz”, arrasou! Sua apresentação tinha cores de baixo contraste e foi necessário escurecer muito a ponto de virar um breu! pensa que ele se abalou com isso? Nem pensar, gerou um Buzz ainda maior! Um talento!!!
  • Os espaços – A separação esse ano permitiu que as empresa patrocinadoras tivessem uma área específica para elas e na minha opinião, oxigenou o evento! Era realmente muito chato em cada intervalo entre uma apresentação e outra vir um representante fazer o seu jabá com um “jingle irritante” em poucos minutos. O mais legal é que as empresas tiveram que mostrar serviço e apresentaram propostas bastante interessantes e houve público para cada um delas.Achei perfeito o formato, continuem assim!

Pontos negativos

  • A inscrição – Continua problemática. Todos os anos, eu que já tenho cadastro me enrolo sempre para fazer a inscrição. Troquei alguns e-mails com a organização para me certificar que havaia conseguido me inscrever e precisei de 3 tentativas para ter sucesso!!! Isso é muito ruim pois desistimula por meio da frustação. O formulário não é intuitivo e confesso que não tenho a menor ideia de como eu fiz para conseguir. É preciso reformular urgentemente esse ponto. Apesar dessa edição ter sido record de participações eu me pergunto quantos desistiram por causa dessa detalhe!
  • O credenciamento – Já melhorou muito, mas ainda é uma espera muito cansativa. Eram filas de identidades que não eram respeitadas a ordem de chegada, cadastrados que não eram localizados, demora, muita demora. Na minha opinião é preciso mais pessoal, segmentar o atendimento como “profissional, estudante, grupos, empresas, cortesias e convidados” e sinalizar com banners, faixas de separação tipo de banco, e alguns atendentes na fila com o objetivo de orientar e agilizar processos. Era comum pergarem as identidades de pessoas no meio da fila e estas eram entregues aos atendentes no balcão que juntavam várias outras identidade e não seguiam uma ordem. Um jeito muito simples de resolver isso seria no ato da inscrição ser gerado um comprovante com um código de barras, a pessoa de posse desse documento impresso chegaria no balcão apenas para confirmar apresentando junto a sua identidade cadastrada e pronto, acesso liberado. #ficaadica
  • Programação – Um evento múltiplo como esse, com 4 áreas distintas, ter em mãos a programação é uma mão na roda. Eu já havia definido onde ficar, porém era comum muitos participantes definirem “na hora” para onde iriam. Havia um único banner com a programação. Se o sujeito não tivesse impresso em casa teria que correr para o tal banner, ou acessar a internet para baixar o PDF da programação para escolher para onde iria. O que eu sugiro é que sejam impressos o guia da programação. Dependendo do tamanho, dá até para imprimir num adesivo e colar no verso do crachá na hora do credenciamento. Também #ficaadica
  • Almoço – Outro ponto que já melhorou muito, mas ainda é um complicador por causa da localidade do Centro de Convenções. Almoçar fora é um tormento. Só há um restaurante na redondesa que nunca consegue atender essa demanda!! As filas são intermináveis. Fila pra entrar, fila pra pegar comida, fila para a carne, fila pra pesar, fila pra pedir ao garçom uma bebida e fila para pagar! Apesar desse ano a organização preparou com antecedência outras opções, confesso que não tive coragem de encarar.
  • Coffee break e água – Esse ano deixou à desejar. Um evento com tantas horas de duração precisa muito desses intervalos e os “quitutes” sempre ajudam a galera à sobreviver né?!!! Ok, havia uma cantina no local, mas uma lata de refrigerante vendida por R$ 3,50 não é muito legal!

Sobre as palestras que assisti

  • Palestra @brunodreux on Twitpic

    Bruno Dreux da Publicidade Interativa  É um grande desafio ser o primeiro a abrir os trabalhos num sábado de manhã cedo. Mas Bruno conseguiu com a sua palestra divertida, regada a comparações hilárias e verdadeiras. Descobriu uma “cliente” no meio da platéia e a provocou de forma bem-humorada várias situações do contidiano das agências e seus clientes. Gostei muito.

  • Palestra @martagabriel on Twitpic

    Martha Gabriel da NMD New Media Developers – Apesar da sua capacidade profissional e carisma, a palestra da Martha não me agradou. Foi muito massante e extensa e ele falava muitíssimo rápido. Fora isso, eu como designer não gostei do aspecto visual de seu PowerPoint. Alguém que fala sobre equilíbrio de cores não pode apresentar um comumento como aquele com background de teia de aranha. Não me passou uma boa impressão. Na parte técnica ela deu um show! Muitas referências e embasamento, mas pecou em passar isso para a plateia que não era só formada por profissionais da área, havia muitos estudantes ou iniciantes. Sugiro à Arteccom que levante essa questão com ous próximos palestrantes.

  • Share photos on twitter with Twitpic

    Horácio PastorAcesso Digital – Eu já conhecia essa palestra de outro evento, porém Horácio atualizou com dados importantes mais recentes, como o do caso do Portal Brasil. Mesmo já assistindo o vídeo “Custo Benefício” numa outra oportunidade, é importante que nós profissionais estejamos sempre alertas quanto a “acessibilidade em sites”. Eu mesmo não crio sites acessíveis e rever a apresentação do Horário reacendeu a minha obrigação de fazer uma Internet melhor para todas as pessoas!

  • Como sempre @radfahrer foi 10 no #edted on Twitpic

    Luli RadfahrerECA USP (Escola de Comunicação e Artes) – Disparado a melhor apresentação do dia. Só ele já valia o ingresso! Com o tema “Como cobrar Design”, Luli mostrou que precisamos provar aos nossos clientes que Design não é mero “desenho”. Que o que fazemos é buscar soluções visuais para estratégia, planejamento e resultado. Esse é o nosso negócio!! Luli deu um show com a sua performace altamente impactante. Poucas pessoas conseguiam tuitar algo enquanto ele falava, isso mostrou o real interesse da plateia à sua apresentação!

Sobre as palestras que não assisti

Enquanto eu monitorava a hashtag #Edted percebia os comentários das pessoas para as outras apresentações em que eu não podia estar presente. E as que mais vi serem comentadas foram a “Planejamento de Corte: o seu layout virando código” do Bernard De Luna e Victor Montalvão – CCAA que rolou no Espaço Oficinas; a “Start-ups: Kindle e Skidun” que rolou na Espaço minicurso e desconferências e teve um depoimento emocionado de seus apresentadores que comoveu muito a plateia. E por último eu destaco a oficina “Buzz Monitor em Redes Sociais” do Gustavo Loureiro e Lucas Ribeiro. Muita gente retuitou as dicas que a dupla fez e hoje eles disponibilizaram a apresentação no SlideShare que segue incorporado aqui nesse artigo.

Palavra final

Esse ano o evento teve record de público com 1074 inscrições. Percebi que muitos destes nunca participaram e tenho certeza que a impressão foi a melhor possível! O evento foi um sucesso e sem dúvida, uma das melhores e mais bem organizada edições. Parabéns à todos da Arteccom pelo empenho, atenção que dão aos participantes, sejam eles profissionais, convidados, estudantes ou palestrantes. É notória a acessibilidade e simpatia de toda equipe! Foi um prazer mais uma vez participar do evento! Parabéns à todos e até o próximo encontro!

Abraços!

<!–more–>

Disclaimer:

Alguns números do evento: Foram 1.500 menções usando a hashtag somente no dia do evento (só eu fiz 76 menções!!!!). Entramos no Trending Topics durante o evento e chegamos a ficar em 1º lugar! Os usuários que mais contribuiram foram: @tvplus, @mariounaum, @henriquebastos, @tarsisazevedo e @marcelocarey . segundo o monitoramento que fiz usando o Twassup.