Retrospectiva 2013. O ano da produtividade!

Todo fim de ano é a mesma coisa. A maioria faz um balanço de como foram os últimos 12 meses, e aproveitam para fazer as promessas do novo ano que se inicia. Dietas, mais tempo pra família, e claro, se matricular na academia no primeiro dia útil seguinte!

É claro que por aqui a coisa não é diferente, e no episódio de hoje do Microfonia Web eu vou fazer uma análise de como foi o meu ano profissional traçando um paralelo com a minha vida pessoal! Vamos lá?

E aí gostaram? Acharam que eu fui conservador em 2013? E vocês? trabalharam tanto quanto eu? Quero saber hein. Contem aí nos comentários!

Alguns links bacanas para completar a sua opinião:

Site Netinho de Paula: vale burlar boas práticas para atingir um público-alvo?

Assim que o amigo Gabriel Subtil divulgou para mim no Twitter a URL do site do Netinho de Paula, uma chuva de menções negativas começou a pipocar na “timeline” sobre o Frankenstein em forma de site! O assombro da galera (e meu também) não foi só pelo fato de ser mais um site horroroso e mal feito na web, e sim por e se tratar do site de um pré-candidato à Prefeitura da cidade de São Paulo!!! o.0 Ok, o cara é popular, já teve banda de pagode, programa de auditório, mas pera lá! O site é completamente TOSCO!!!

Mas passado o susto inicial, aí me veio uma questão? Será que o site não está realmente focado no seu público-alvo? Afinal, Netinho é um cara que até hoje se comunica diretamente com o povo menos favorecido. Mesmo atuando como apresentador de TV, Netinho faz questão de usar os jargões que estão na boca do povo para expressar opiniões e sentimentos, e aí fica uma questão-chave:

Será que o site foi deliberadamente criado para atingir esse público-alvo?

Site Netinho de Paula

Site Netinho de Paula

O layout é criado em tabelas e todo fundamentado no Flash e com música de fundo. Quase não há conteúdo no HTML, e o CSS é mera formalidade. Mesmo se tratando de uma versão ilustrada, notem que a animação da página “home” até os carros ficam de cabeça para baixo depois de fazer uma curva na estrada! Uma verdadeira comédia!

Muitos profissionais cairam de pau na versão do site. Falaram sobre o Layout, sobre a falta do conteúdo, sobre SEO, código, a estrtatégia de marketing o posicionamento, enfim… o veredito de 100% era sempre mesmo: “o site é uma m*rda!!!” Continue reading

“Pencil Sketching”, uma extensão bem completa do Firefox

Imagine a cena: você trabalhou durante alguns dias na criação do layout com o seu Photoshop, e quando você está quase no final, percebe que algo não funciona bem! A navegação, ou os elementos, você não sabe ainda ao certo! Então você começa a refazer algumas partes em busca de solução, quando de repente a ideia inicial do layout se perde um pouco e isso te frustra!

Imaginou a cena? Ela é mais comum do que a gente pensa na verdade! Você que é designer, e cria layouts sem passar pela fase do Wireframe, esse é o cenário mais recorrente, não sua produção! Na criação de um layout de um site, é fundamental trabalharmos com wireframes para prever possíveis erros. Quando fazemos esboços no papel, tudo pode parecer perfeito, combinando direitinho, mas é na hora do Photoshop (ou Fireworks para alguns) é que o bicho pega! Há um artigo bem bacana que o Fred Van Amstel escreveu no site Usabilidoido em 2005 que mostra a importância dessa fase na criação. Além do Usabilidoido, eu sugiro a leitura dos artigos do Ivo Gomes e do Walmar Andrade para complementar esse conceito.

Por conta desse artigo é que comecei a implementar esse estágio na minha metodologia de criação usando um software chamado ImageStyler (descontinuado pela Adobe) na criação dos meus wireframes. Com ele, eu fiz praticamente todos os meus layouts dos últimos 3 ou 4 anos. Até que no último projeto, o site do evento CoéSEO, eu resolvi testar a extensão para Firefox chamada “Pencil Sketching” e hoje eu vou passar para vocês as minhas impressões de uso.

"Pencil Sketching", uma extensão bem completa do Firefox
“Pencil Sketching”, uma extensão bem completa do Firefox

Continue reading

Acabou o Carnaval! Agora vamos trabalhar!

Assim que a Beija-Flor foi declarada Campeã das Escolas de Samba do Rio de Janeiro em 2011, muita gente postou a mesma mensagem no Twitter:

“Feliz Ano Novo”!

Mesmo sabendo que é uma brincadeira típica do senso de humor do Twitter, temos que concordar que se trata de um fato realmente. O ano começa literalmente HOJE no Brasil! Falo isso com um certo rancor, confesso! Sou freelancer há 3 anos e feriados, em especial o Carnaval, sempre me incomodaram e hoje eu vou tentar explicar o motivo!

Do tempo quando eu ainda era empregado

Como muitos já sabem eu trabalhei no GPI durante 6 anos como designer gráfico e a minha rotina era cumprir prazos apertados e muito material para criar e diagramar. Era comum ficar até tarde fazendo hora-extra para terminar a produção de alguns materiais com o prazo estourado. Durante todos esses anos que trabalhei lá, alguns dias da semana eram o “grande gargalo” da gráfica. Houve uma época que era nas terças-feiras, outra nas quintas. Enfim, sempre havia um dia na semana que era bem tenso e eventualmente ficava até mais tarde para entregar tudo pronto pra gráfica.

No total eram 5 dias úteis na semana para finalizar um produto e toda vez que rolava um feriado no meio da semana, todo o meu planejamento ia para o espaço, pois sempre restava bem menos dias (dependendo do dia que o feriado caísse) e isso me obrigava a quase virar a noite por lá! Sempre conseguia cumprir a entrega, mas era muito ruim quando isso acontecia. Emendar feriados? Nem pensar!! Seriam menos dias ainda e aí tudo iria por água abaixo! Continue reading

Metrô-RJ na web: muito conteúdo e pouca informação

Novo Blog do Metrô-RJ

Eu já falei muitas vezes sobre sites que precisam atender às reais necessidades de seus usuários. Não é segredo pra ninguém que nem sempre isso acontece. Aliás, quase nunca! O sujeito quer uma informação sobre um produto ou serviço de uma empresa e finalmente acha um site e cria a expectativa de encontrar o que deseja navegando pelas página daquela interface. É comum usuários se frustrarem por não conseguirem achar a informação almejada. Em geral isso ocorre quando o site não é bem projetado, seja visualmente, seja pela arquitetura de informação, seja pelo conteúdo de péssima qualidade ou por todas essas coisas ao juntas ao mesmo tempo!

Super Metrô

O resultado é que o usuário sai do site sem a informação e nunca mais retorna, além de levar consigo uma péssima imagem daquela empresa, mesmo que ela faça no mundo “off-line” um bom trabalho. É preciso que os empresários entendam que os sites são extensões do meio físico. E não uma coisa externa sem relação.

Agora imagine esse mesmo cenário numa empresa que presta um serviço público essencial como o de transporte. A população é exponencialmente maior que a grande parte das empresas comuns. Por maiores que elas sejam, não se comparam ao serviço público como o do Metrô por exemplo. Há uma expectativa grande por parte da sociedade que o site de uma empresa que presta um serviço de tanta importância, faça o papel de informar ao usuário um enorme esforço. Nessa semana foi ao ar o blog do Metrô para cumprir essa necessidade da massa que freqüenta os vagões diariamente e confesso que fiquei decepcionado.

O blog é bem feito. O layout é limpo, agradável, de fácil leitura e navegação. As cores remetem à uma tranqüilidade infinita. O projeto é recheado de redes sociais que estão integradas ao mesmo e vice-e-versa. Além do blog temos a já existente conta no Twitter, uma “page” no Facebooko Flickr, um perfil no Orkut e um canal no Youtube. Mas o grande problema é que, apesar de toda essa estrutura, o projeto não informa NADA AO USUÁRIO COMUM. Ele não atende à ninguém que compra o seu ticket no guichê e entra num vagão sujo, com ar condicionado avariado e superlotado. Infelizmente o blog é, como diria a minha avó, para “inglês ver”.

Continue reading