Just do it

Just do it, nothing is impossible, just do it, yesterday you said tomorrow, don’t let your dreams be dreams, the more often you do it, the more light there will.

Enfim, voltei! Não do mesmo jeito que antes, é fato.

Desde a Copa do Mundo o mercado refreou e a minha vida virou de cabeça para baixo. Ao contrário da cigarra, eu fiz como a formiga e trabalhei para sobreviver no inverno da crise pós reeleição da nossa presidenta! Mas acontece que o mercado realmente parou e a chapa literalmente esquentou por aqui. Por causa disso eu atuei em outras frentes em busca de fechar as minhas contas no azul no fim do mês, mas infelizmente o empresário brasileiro está no modo “standby” no que se refere a investir em Internet!

Então, só para variar, eu me invento mais vez!

Como diz Albert Einstein, “Não se pode ter resultado diferente usando os mesmos dados“, então eu estou mudando o site novamente. A ideia é trazer outro tipo de público de forma mais efetiva, mais comercial. Já estou trabalhando no planejamento da nova versão, e até lá, quem muda por enquanto é o editorial do blog.

Analisei todos os artigos do repositório e vi que muitos não se encaixam nessa nova editoria e foram realocados. Os artigos mais pessoais agora estão no endereço eu.cristianoweb.net. Os textos de trabalho, mas que efetivamente não geravam nenhum tipo de conversão mudaram para o endereço baudeblogs.cristianoweb.net.

Agora no blog eu falarei de todos os tipos assuntos que agregam ainda mais conhecimento ao meu trabalho. Desde que eu criei a Newsletter Links para Viagem, eu percebi o quanto a pauta desse conteúdo era o meu combustível para as tomadas de decisões nos trabalhos em que eu atuo. Então decidi que o blog terá mais “essa pegada”. Os formatos não ficarão presos ao padrão de postagem clássica. Posso eventualmente publicar notas mais curtas para falar de algo que está acontecendo no dia da postagem, da mesma forma como comento nas redes sociais.

Hoje por exemplo, é #WorldEmojiDay (Sim, isso existe mesmo!) e muitas empresas usarão esse tipo de situação para estreitar a relação das suas marcas com o seus consumidores. E isso me lembra de um artigo muito bacana da Patrícia Moura chamado “Marcas e memes – imbecilização ou adequação às conversas?“. Nele a minha amiga Paty faz uma ótima reflexão sobre a participação ou não das empresas sobre os memes da Internet com o objetivo de engajar ainda mais com o seu público. O artigo se originou de um grupo de discussão de redes sociais no Facebook e o debate foi acalorado. Concordando ou não, o fato é que esse movimento acontecerá hoje, ou alguém duvida que aquele banco brasileiro que é “feito para você” não fará uma ação carregada de Emojis!? 😀

Um bom exemplo de uso de memes é o vídeo que ilustra essa postagem. Ele é um mushup do famoso vídeo da audição do ator Shia LaBeouf. A produção é dos Gregory Brothers (Schmoyoho), canal que faz paródias em auto-tune, que tem tudo a ver com o seu público.

Enfim, curtiram então as mudanças na editoria? Então aproveitem e leiam (e assinem) também os meus textos no blog do site Tagarela, com artigos sobre como design pode ajudar a consolidar Start-ups, e no Tableless, onde eu vou mais fundo nas técnicas de criação, além de análises do mercado. E claro, além dessas duas frentes, acompanhem o meu trabalho no Carreira Solo onde eu falo sobre a minha experiência como freelancer.

Abraços e até o próximo artigo!

😀

5 anos de freelancer – Em busca da minha própria voz

Abril de 2008. Depois de 4 meses de muitas dúvidas e tentativas frustradas de conseguir um emprego como webdesinger, eu decidi me lançar como freelancer. E passados 5 anos, hoje eu vejo que fiz a escolha certa, mesmo que eu esteja ainda em busca da minha própria voz. Sim, minha voz. Para quem não sabe, eu estou me referindo ao discurso inspirador do músico Dave Grohl no SXSW desse ano. Ao assisti-lo percebi que a minha busca profissional é baseada nesse conceito.

Keynote do Dave Grohl no SXSW 2013

Keynote do Dave Grohl no SXSW 2013

Na época eu nem sabia o que eu estava fazendo. Eu apenas seguia o meu instinto. E querem saber? Ainda é assim!

Mesmo agora, aos quarenta anos de idade eu apenas sigo o que eu sinto. Claro, que isso não paga contas, não fecha novos contratos, mas quem disse que a gente não “aprende as coisas” com o passar do tempo? No vídeo Dave conta que não importa se você sabe o que está fazendo, ou está fazendo algo que ninguém nunca viu antes. A questão é conseguir a sua própria voz! E foi isso que eu fiz, e mesmo sem saber, vivi mais intensamente esses 5 anos do que os 35 anteriores da minha vida! Continue reading

Quatro ponto zero

Eu sem graça recebendo o "bolo surpresa" no aniversário de 38 anos em 2011

Eu sem graça recebendo o “bolo surpresa” no aniversário de 38 anos em 2011

 

Hoje eu faço quarenta anos,

e a há 20 anos atrás eu começava o namorar a mulher que me mudaria para sempre.

Nuca mais fui a mesma pessoa depois daquela festa!

Até hoje seus comentários me fazem refletir,

avaliar,

mudar ou auto-afirmar.

Eu e Cida no aniversário de 14 anos de casamento em 2010

 

Outras pessoas entraram e saíram na minha vida.

Muitas deixaram sua marca na minha personalidade,

no meu pensamento.

Alguns eu não lembro mais o nome,

mas tatuaram comportamentos em mim.

Cada um de nós é um fio condutor,

e eu não sou diferente disso. Continue reading

Gestão de conteúdo. O “calcanhar de Aquiles” do meu negócio.

Enfim chegou dezembro, e a Simone começa a cantar em looping nas rádios! A decoração com flocos de neve começa a dominar o cenário das empresas e na TV a propaganda com o jingle “… Já é Natal na Leader já é hora…” deixa a gente de cabelo em pé!

Nessa mesma época, eu aproveito para fazer um balanço comercial da minha atuação no ano em busca de evolução da minha carreira. Em 2011 eu fiz 46 propostas e converti 10 projetos, um total de 21,74%. Já em 2012, eu enviei 42 propostas e fechei 12 projetos. Ou seja, esse ano eu fui mais acertivo e consegui converter 28,56% dos pedidos de orçamento que recebi na minha inbox.

Mas o que isso significa? Que você melhorou, certo?

Comercialmente sim. Foi um ano mais tranquilo financeiramente, mas não foi só isso. Continue reading

Pagando uma dívida com o Café 22!

Ao mestre com carinho!

Roney B, controlando os slides numa das apresentações no Café 22

Foto por @BrunoFontes – http://www.flickr.com/photos/brunofontes/4305448970/

Quando eu estava no então chamado “segundo-grau” na década de noventa, eu tinha muita dificuldade com a matéria de física. Me lembro que eu nunca sabia a diferença entre Watts e Volts ou até mesmo Joules!!! Na época, eu me enrolava muito com as fórmulas e invariavelmente ficava com nota abaixo da média. É justo nesse momento que entra em cena o meu professor Jorge Bronzo e enfim, minha visão sobre a matéria mudou radicalmente e eu fui aprovado aos 45º do segundo tempo!

Lembro perfeitamente que ele percebeu que eu fazia parte de dois grupos de amigos da minha sala. O primeiro, da galera “da cozinha”, que só queria saber de conversar e matar o tempo. E o segundo grupo era dos CDFs (sim, naquela época ninguém os chamavam de NERDs!!!) mas que eram bons de bola também! Então quando eu estava no início do segundo ano ele disparou: “camarada, ou você pula para o grupo dos caras que sabem tudo e corre atrás do conhecimento, ou então você vai repetir de ano e eu não vou te aliviar!

Mas o mestre Jorge não só me pressionou na parede como à partir daí me inseriu em tudo quanto foi atividade científica e cultural que rolava no colégio. Começou com a “Semana das Artes” (SEMART), onde rolou pintura, música e teatro e culminou na temida “Feira de Ciências” que estreava justamente naquele ano. Claro que eu não quis participar, mas ele mais uma vez me pressionou e eu fiz um trabalho sobre Meteorologia Aeronáutica e fiquei em 6º lugar geral no colégio entre 130 projetos.

No ano seguinte, peguei gosto pelas atividades e ele me colocou como braço direito na organização dos mesmos eventos e eu acho que nunca trabalhei e estudei tanto na minha vida como no meu último ano de estudante e tenho CERTEZA que parte da minha personalidade foi traçada no empenho desse mestre! Ainda voltei dois anos depois de formado ao colégio como membro da banca julgadora, mas aí eu casei e perdi o contato. Continue reading

Mais uma típica postagem de fim de ano!

E não é que eu aderi mesmo ao movimento das “postagens Natalinas”?!

Pois é gente, ano passado eu escrevi um artigo com o resumo de como foi o meu 2010 e eu curti muito o formato e resolvi repetir a dose nesse fim de ano também. Afinal eu sou um “GTDMan” e “revisar” é mais do que um conceito de metodologia, é um estilo de vida. Portanto, vamos ao resumão de 2011!

Palestrando no WP Meetup RJ

Palestrando no WP Meetup RJ (Não sei o que eu estava falando, mas deve ter sido engraçado!!!)

Continue reading

Antes de planejar o futuro eu olho o passado

Revisar é uma das macro-categorias da metodologia GTD (Getting things Done) que eu uso não só para as minhas tarefas, como em tudo na vida também. Sempre que posso eu dou uma olhada nos trabalhos que fiz analisando processos usados, referências que me baseei, a minha evolução como profissional, enfim. A ideia é rever tudo para crescer, tanto que já até escrevi sobre assunto aqui!

Por causa disso eu estou sempre “em estado de alerta” para situações que me remetam ao passado. Dessa vez o “start” desse processo foi dado pela amiga fotógrafa Jaqueline Porto, que está passando por uma fase de reflexão profissional atualmente. Ela me enviou um email me perguntando como eu fiz quando passei pela mesma situação que ela, e ao respondê-la, eu revi um passado recente para orientá-la e hoje eu vou compartilhar com vocês com o mesmo objetivo.

O passado recente que eu me refero é o emprego que eu tive na Gráfica GPI entre os anos 2001 e 2007. Eu fui contratado como designer gráfico e sai de lá como supervisor da equipe de criação. Foram 6 anos de experiências ricas e desafiadoras, e mesmo aprendendo muito com os empregos anteriores, sem dúvida, o GPI foi a mais intensa de todas!

Mesmo sendo um período bacana, o que eu realmente queria fazer era trabalhar como “webdesigner”. Então depois de muito “freelar” para uma agência não-digital chamada Agente Comunicação e eu resolvi arriscar e me ofereci para trabalhar lá e pouco tempo depois eu sai do GPI para me jogar de vez no mundo da criação web!

Apesar de ser o que eu queria, o futuro era muito incerto e eu senti a responsabilidade e no meu último dia de trabalho no GPI enviei um email para todos os funcionários da empresa, agradecendo o convívio e aprendizado com todos e foi justamente nessa mensagem (que foi respondia inclusive por toda a diretoria na época, e eu guardo com carinho até hoje!) é que me inspirei para responder o email da Jaqueline e agora eu compartilho com vocês:

Equipe Editora e Gráfica GPI na minha despedida em 2007

Equipe Editora e Gráfica GPI na minha despedida em 2007

Continue reading

Ligando o meu site no modo “under construction” (ou não!!)

É isso mesmo galera! Depois de quase 1 ano de espera, adiamentos, enfim, a nova versão do meu site “entrou no forno”, e eu agora estou preparando a casa para receber o tema que eu mesmo desenhei e que o Cayo Medeiros está sofrendo implementando nesse momento!

Ligando o meu site no modo "under construction" (ou não!!)

Ligando o meu site no modo "under construction" (ou não!!)

A mudança será beeeeeeem radical, e isso implica diretamente no formato visual atual do site, inclusive na estrutura interna do WordPress e precisei fazer várias mudanças significativas por aqui. A primeira delas é mexer “novamente” nas categorias. Em dezembro do ano passado eu já dei uma boa enxugada só que agora, em vez de criar novas, eu estou inserindo outras sub-categorias, abrindo o leque de assuntos, só que sempre dentro da mesma linha editoria atual.

O objetivo é deixar o blog como “suporte” para o site institucional, ajudando os meus argumentos comerciais. Afinal, tenho que pagar as minhas contas não é mesmo!? Continue reading

As experiências que vivi, me fizeram um designer melhor

O poeta Augusto dos Anjos escreveu: “somos o que lemos e lemos aquilo que somos“. Essa frase para mim é a síntese das experiências que vivemos, as referências que acumulamos e como isso nos influencia seja na vida pessoal ou profissional.

Ontem foi meu aniversário de 38 anos, e óbvio que fiz uma breve revisão de como foi o trajeto da minha vida até o momento da minha apresentação no evento WP Meetup RJ que rolou na mesma data.

Lembrei de alguns lugares onde trabalhei, diretores e chefes que tive, gerentes e companheiros de trabalho, brigas, conquistas, frustrações e noites acordadas com horas-extras e cheguei a conclusão que cada um desses momentos me fizeram ser quem eu sou hoje!

Quando o Guga Alves me passou o microfone para falar sobre o case do Imóvel RJ (assista aqui na íntegra), eu lembrei quanta coisa eu tive que passar antes de ter a capacidade de expor o meu trabalho para um auditório. Digo isso porque olho para trás agora e vejo que acumulei inúmeras experiências diferentes do que faço hoje e ainda sim na desconferência a frase que me veio à mente para fazer as minhas considerações finais foi a de um antigo, e já falecido, chefe meu. “ninguém é tão pequeno que não possa ensinar e nem tão grande que não possa aprender“. Fiz essa citação para explicar ao público que nós, independente do tamanho que somos, temos a capacidade de trocar conhecimento e experiência! E hoje eu resolvi contar pra vocês como a minha personalidade profissional foi formada e espero que seja útil para vocês, principalmente aos que estão começando agora!

Continue reading

2010! Foi bom pra você?

Parece um Déjàvu, mas não é! Todo final de ano é a mesma coisa, mas não há como fugir do lugar comum dos artigos de “Retrospectiva do ano“, e esse vai ser mais resumão de como foi o ano de 2010!

Eu muito à vontade minutos antes da minha palestra no BlogCamp-RJ

Eu muito à vontade minutos antes da minha palestra no BlogCamp-RJ

Há um ano atrás eu escrevi um artigo com o título “Mais dinheiro, menos trabalho, mais tempo para a família e menos 15kg!” e confesso que algumas metas desse post não foram atingidas. Para começar menos trabalho! Muito pelo contrário. Foi o ano em que eu mais trabalhei na minha vida! Mas em compensação eu oscilei entre momentos intensos e outros mais folgados. Só para provar que isso é verdade, em 2010 eu consegui tirar duas micro-férias (dez/jan e julho) e estou indo para a minha terceira no dia 28/12, quando viajo para casa da minha tia na Região dos Lagos-RJ. Justamente nesses momentos de mais folga eu consegui estar mais presente da minha família. Participei mais de eventos da escola dos meus filhos, além de encontros mais freqüentes com familiares.

Quanto à grana, 2010, graças à Deus, foi um ano bem estável. Não consegui guardar nada ainda, mas estou caminhando para isso. Quero fazer uma “poupancinha pros filhotes” e logo-logo vou conseguir! Mas o fato mais frustrante foi a questão do peso. Eu não só não perdi, como ganhei! A vergonha é tanta que nem me peso mais para não ficar mais arrasado. E para piorar, recentemente a minha timeline está lotada de amigos e amigas corredores. Os chamados Twitterunners! É um tal de “Eeeee, consegue correr 6km” pra cá; ou “acordei cedo e vou malhar antes de trabalhar”, que tomei a decisão de me matricular na academia o quanto antes! Ostentar uma barriga como a minha definitivamente não é um troféu, e quero logo perdê-la o mais rápido possível. A meta é a mesma, 15kg. Mas confesso que quero participar de uma corrida do calendário oficial da cidade para colocar a mágoa pra fora! Vamos ver! Continue reading