[Polêmica] Porquê eu não meu preocupo com @sobrinhoweb

Sempre citado nas “rodinhas” de discussões entre os profissionais web, o “sobrinho” é de longe o cara mais odiado da Internet! Sinônimo do antiprofissional, esse cara, que em geral é parente do dono de alguma empresa, faz sites horrorosos cheio de firulas, carregado de cores não complementares e abusa das fontes e texturas da moda! Ele é o verdadeiro câncer do mercado web, certo?!

ERRADO!

Prazer! Eu sou o @sobrinhoweb e faço sites por R$ 200,00

Para mim o “sobrinho” cumpre um papel de uma demanda que existe e sempre vai existir, independente de quanto o mercado seja profissional. Claro que você já deve estar entendendo o foco desse artigo. Sim, eu estou dando mais uma “espetada” na polêmica gerada por causa da “Tabela referencial de preços para serviços freelancers em design“.

Na quarta-feira passada (24/04/2013) saiu uma edição especial do FalaFreela sobre o tema, onde Mauro, Carol e eu conversamos com Rafael Ancara do (ótimo!) Anticast e do criador da tabela, Diego Motta da FanPage Design&Chimarrão.

O Diego contou sobre a ideia e concepção da tabela e ainda sim os Xiitas de plantão desceram o cacete na pauta, e inclusive tentaram descredibilizar o programa dizendo que baixamos o nível e que tentamos nos promover “capitalizando a pauta”.

Apesar do trio deixar bem claro que entendem que a tabela não é a ÚNICA forma de precificação nacional, sabemos da importância que ela tem junto aos mais inexperientes. Existem inúmeras variáveis que fica IMPOSSÍVEL documentar tudo num único PDF todos os preços praticados no Brasil. Como bem disseram (não lembro aonde!), “que bom que a tabela gerou essa polêmica toda, porque nunca se discutiu tanto o design no mercado como agora“. Eu concordo nesse ponto e que quero trazer outras opiniões que eu tenho sobre esse assunto.

Continue reading

Desmistificando o conceito “designer self-service”

Há muito tempo eu quero escrever esse artigo que provavelmente vai soar como catarse para alguns, mas é a mais pura realidade na vida de um profissional de Internet freelancer e eu quero desmistificar esse conceito. Vamos lá!

Situação recorrente

“Olá, meu nome é fulano de tal e sou dono da empresa Beltrana LTDA! Estou querendo fazer um site bem simples, se possível muito parecido com o ‘blablabla ponto com ponto bê érre‘. A ideia é fazer um site bem simples por enquanto, pois estamos começando agora e não temos verba para algo mais elaborado. Você faz isso? Quanto custa? Em quanto tempo entrega? Estou te perguntando porque a empresa vai fazer aniversário de 1 ano daqui a 10 dias e gostaria de ter um site e poder divulgar no meu Facebook!

Obrigado

Fulano de tal

Levante o mouse quem nunca recebeu e-mails assim! Todo mundo né? Já sou freelancer em tempo integral há 4 anos e passei da fase de me preocupar com certos problemas do cotidiano, mas confesso que esse tipo de situação me incomoda e tenho certeza que nos amigos leitores deve até causar uma certa sensação de ira!

Na Internet a gente conhece o “case” que luta contra esse tipo de situação usando o blog de forma sarcástica para dar respostas para os apelos mais malucos do mercado. Eu estou falando do site do “Luis Di Vasca“, que com muita criatividade, faz da “sua desgraça” o seu “buzz” e escreve artigos hilários sobre as situações típicas da vida de um designer. Vale assinar o blog. É garantia de boas risadas no horário do expediente. Mas como eu não sou o Di Vasca, a única forma de ajudar foi criar um artigo passando a minha visão sobre a questão com algumas pequenas dicas: Continue reading

Precificando projetos Web

Precificando projetos web

Recentemente eu escrevi um artigo no Carreira Solo sobre a relação do cliente e a precificação de serviços baseados em hora-técnica. Lá eu mostrei algumas dicas prévias que nos ajudam a estruturar os argumentos na hora em que o cliente possa questionar o valor cobrado numa proposta.

Eu citei que tenho uma planilha de precificação no artigo e alguns amigos me pediram se eu podia enviá-la pra eles, pois é sempre difícil de calcular tudo direito sem perder o foco na relação “bom pra mim x bom comercialmente”. Então eu resolvi não só disponibilizar a planilha aqui, como no Google Docs para quem quiser usar e o artigo de hoje eu vou mostrar os conceitos básicos que a estruturam. Vamos lá:

Entendendo um pouco mais sobre a hora-técnica

No texto que eu escrevi para a galera do Carreira Solo eu mencionei um artigo do Sean Canha do Design Blog, onde ele explica como cobrar baseado em hora-técnica. Foi um artigo fundamental nesses últimos anos na minha vida de freelancer, pois me deu condição de enviar propostas com um preço justo para a minha sobrevivência, além de estar comercialmente adequado no mercado.

Segundo o Sean, precisamos definir 3 pontos importantes:

  • Preço base
  • Lucro
  • Duração do projeto

Precificar, nada mais é do que a soma do preço base e lucro multiplicado pelo tempo de duração do projeto. Dá até pra fazer uma fórmula para ilustrar: (Preço base + Lucro) x Duração. Para maiores detalhes, recomendo a leitura completa do artigo lá no blog do Sean Canha. Continue reading

A difícil arte de dizer não!

Muitos amigos sempre me perguntam como eu consigo ser tão produtivo, e eu sempre respondo: organize-se, foque em cada detalhe e acima de tudo “saiba dizer não”!

É um erro comum achar que pelo simples fato de sermos freelancers temos que pegar todos os projetos que nos oferecerem, e enviar um orçamento para todas as solicitações de propostas que chegam a nossa caixa de e-mail. Não é assim que a coisa funciona. Aliás, é assim mesmo, mas não é o mais acertado! Hoje eu vou tentar colocar pra vocês de como o poder dessas três letras e um “til” podem transformar o inferno da sua vida de freelancer num caos sob controle!

Quem nunca passou por uma saia justa?

Situação típica: você está com projeto bem trabalhoso, com um prazo um pouco apertado, porém sob controle. Além dele, na seqüência você já tem outro engatilhado que pegará assim que terminar o atual, quando surge no seu e-mail uma mensagem de um contato seu com o assunto “ORÇAMENTO URGENTE”!

A mensagem trás um pedido de orçamento para um projeto daquela marca famosa que você está correndo atrás há 3 meses com esse seu contato, porém o projeto precisa estar no ar em no máximo em 1 mês por causa da data de aniversário da empresa e eles querem comemorar estreando um novo site! E aí, o que fazer?

Bem gente, eu sempre faço do mesmo jeito: digo NÂO ao projeto! Respondo o e-mail educadamente informando a minha disponibilidade mais próxima e deixo claro a minha metodologia de trabalho, bem como as suas fases os motivos de cada uma delas e agradeço por lembrar do meu nome e me despeço dizendo que estou à disposição para uma próxima oportunidade. Simples assim! Continue reading

Vamos falar sobre inadimplência?

Afinal, ninguém vive de caridade! Todo mundo tem conta pra pagar, filho pra sustentar (ou não!!!)! Mas não é essa a questão que eu venho propor aqui hoje. A ideia é fazer um panorama da delicada relação que o freelancer tem com os seus clientes quando o assunto é inadimplência! Vou tentar nesse artigo comentar os maiores problemas que enfrentamos, quais os recursos e principais dicas pra quem vive arrancando os cabelos sempre que se aproxima o 5º dia útil do mês!

Putz, ontem foi dia 5 cara!? Esqueci completamente do seu pagamento!

Quem já passou por esse tipo de situação aí levanta o mouse! / Todo mundo né!? Enfim, é algo que acontece mesmo! Seja você empresário ou autônomo. Segundo o SERASA, no último ano, o número de inadimplentes no Brasil ficou em torno de 10,5% no comércio formal. Só que esse cenário muda completamente quando somos transportados para o universo do freeelancer! Não estou aqui fazendo uma cruzada contra os clientes. Muito pelo contrário. Como disse o ex-Presidente Lula no seu filme. “Ninguém aqui é contra o patrão, afinal, são eles é que pagam o nosso salário“. E é justamente nessa linha-mestra que eu quero manter esse artigo. Meu objetivo aqui é passar a minha experiência de pouco mais de 3 anos como autônomo e como eu reduzi a minha taxa de inadimplência para menos de 5% dos pagamentos mensais. Sendo esses pagos com um atraso de no máximo de 20 dias após a data de vencimento. Vamos lá que eu explico! Continue reading

Acabou o Carnaval! Agora vamos trabalhar!

Assim que a Beija-Flor foi declarada Campeã das Escolas de Samba do Rio de Janeiro em 2011, muita gente postou a mesma mensagem no Twitter:

“Feliz Ano Novo”!

Mesmo sabendo que é uma brincadeira típica do senso de humor do Twitter, temos que concordar que se trata de um fato realmente. O ano começa literalmente HOJE no Brasil! Falo isso com um certo rancor, confesso! Sou freelancer há 3 anos e feriados, em especial o Carnaval, sempre me incomodaram e hoje eu vou tentar explicar o motivo!

Do tempo quando eu ainda era empregado

Como muitos já sabem eu trabalhei no GPI durante 6 anos como designer gráfico e a minha rotina era cumprir prazos apertados e muito material para criar e diagramar. Era comum ficar até tarde fazendo hora-extra para terminar a produção de alguns materiais com o prazo estourado. Durante todos esses anos que trabalhei lá, alguns dias da semana eram o “grande gargalo” da gráfica. Houve uma época que era nas terças-feiras, outra nas quintas. Enfim, sempre havia um dia na semana que era bem tenso e eventualmente ficava até mais tarde para entregar tudo pronto pra gráfica.

No total eram 5 dias úteis na semana para finalizar um produto e toda vez que rolava um feriado no meio da semana, todo o meu planejamento ia para o espaço, pois sempre restava bem menos dias (dependendo do dia que o feriado caísse) e isso me obrigava a quase virar a noite por lá! Sempre conseguia cumprir a entrega, mas era muito ruim quando isso acontecia. Emendar feriados? Nem pensar!! Seriam menos dias ainda e aí tudo iria por água abaixo! Continue reading